domingo, 28 de setembro de 2008

Lyon, famosa pela culinária - A Segunda maior Cidade da França

Lyon é a segunda maior cidade da França. Dois mil anos de história deixaram rastros sucessivos na paisagem da cidade de Lyon, hoje capital do Rhone-Alpes, segundo maior departamento francês. No passado foi capital do antigo Império Galo-Romano, fato que influenciou o surgimento de filmes humorísticos franceses contemporâneos como Asterix e Obelix, personagens gauleses. Mont Blanc, o ponto mais alto dos Alpes Franceses, fica a 200km da cidade e pode ser visto dos lugares mais altos de Lyon, principalmente da colina de Fourvière. Segundo historiadores Lugdunum – Lyon - foi fundada no topo de Fourvière 43 a.C. por Júlio César. Esta e outras áreas da cidade foram catalogadas como Patrimônio mundial da humanidade pela UNESCO em 1998.
.
Mas Lyon não tem só o lado tradicional, ao contrário, o que se observa hoje é uma excepcional fusão do antigo com o moderno. Com um centro já bastante denso e protegido, terminam por se instalar inúmeras indústrias nas zonas periféricas, o que transformou a imagem da cidade, agora industrial e polivalente. Exatamente por isso, e ainda, pela grandiosidade da cidade, não pretendíamos incluí-la em nosso roteiro, cujos destinos eram basicamente as pequenas cidades do Vale do Loire, Alsácia, Floresta Negra e Alpes, aliado ao fato de sabermos que apenas uns três dias por lá não seriam suficientes para conhecê-la e explorá-la, como gostamos de fazer quando viajamos.
.
Mas ao programarmos nosso roteiro percebemos que para irmos do Vale do Loire até a Alsácia, a partir de Bourges (cidade que não queríamos deixar de conhecer de jeito nenhum), teríamos que pegar um trem para compatibilizar nosso roteiro com o tempo de férias, devido à distância, e para não termos que voltar a Paris, idéia que nos pareceu sem graça, e como somente de Lyon poderíamos pegar um trem para Strasbourg, acabamos por incluií-la em nosso roteiro, fato do qual não nos arrependemos.
.
O trajeto desta vez foi diferente, pois havíamos optado sempre por estradinhas, vendo os vilarejos, mas desta vez, para adiantar a viagem, pegamos uma auto-pista.
Foi muito bom pra mim, pois ao contrário do Paulo, ainda não tinha tido o prazer de dirigir em uma auto-pista e confesso que fiquei deslumbrada e o “pé na tábua” foi inevitável... é fascinante!
É também impressionante e invejável verificar toda aquela estrutura existente nessas estradas européias, pois de tempos em tempos encontra-se paradas estrategicamente situadas, super bem planejadas, tanto quanto aos acessos quanto aos equipamentos.
Nas paradas encontramos postos de abastecimento, amplas áreas de estacionamento, banheiros bem cuidados e lanchonetes. E para quem não quiser comer dentro da lanchonete, ainda tem áreas para pic-nic, arborizadas, com mesinhas, enfim, tudo para facilitar a vida dos viajantes.
.
Fomos direto ao local da devolução do carro, que ficava ao lado da Estação de Part Dieu, de onde sairíamos de trem para Strasbourg. Justamente por isso escolhemos cuidadosamente um hotel que ficasse próximo, ou seja, a distância ao nosso hotel era de apenas 3 km.

Gare de Part Dieu
.
Nosso hotel ficava localizado em frente à lateral de um hospital,
recém-inaugurado, com uma arquitetura moderníssima!
Um luxo! Mais parecia um Centro de Artes, nunca um hospital.
.

Ficamos no Hotel Citéa Lyon, em Part Dieu, e percebemos que tem muita gente que mora lá direto. Fica na parte moderna da cidade, onde tem tudo, mas se quiser passear na parte turística, não há nenhum problema, pois o sistema de transporte de Lyon é excelente.
.
O recepcionista foi muito simpático e o apart-hotel era bastante confortável, com todas as comodidades, e ainda por um excelente preço (55 euros).
.
Os quartos são bem confortáveis, com todas as comodidades.
.
Nosso hotel servia um ótimo café da manhã, para para quem pretende ficar muito tempo, é uma excelente dica, pois dá pra fazer o próprio café, e até uma comidinha, caso queira economizar.
Primeiro Dia na Cidade - Dia de Reconhecimento
Mapa da Maratona ocorrida no domingo de nossa chegada em Lyon.
Naquele mesmo dia, fomos conhecer a principal praça da cidade - La Place Bellecour, onde se encontra ao centro, a estátua de Luis XIV. Mas chegamos bem no domingo que se encerrava uma espécie de maratona de patins na praça, então, acabamos assistindo o evento! No dia seguinte retornaríamos à praça.
.
Vimos, inclusive, a chegada do campeão!

Naquele dia fomos jantar em um restaurante recomendado pelo recepcionista do hotel, naquele bairro mesmo (Part Dieu). Na verdade queríamos ir por perto pelo cansaço, mas para nossa surpresa, acabamos descobrindo um excelente restaurante e que está fazendo o maior sucesso em Lyon. (super diferente... Só não servem comida francesa! Nem vinho!)
.
Eu estava com um cansaço sobrenatural!
.
Paulinho, igualmente exausto, fazia de tudo para me reanimar!
Achou ótimo que não tivesse vinho francês, assim, poderia variar!!!!
..
Atrás dele, um cliente do restaurante ostentava uma camisa da seleção brasileira, daquelas bem antigas... deve ser da época que nossa seleção jogava bem... (mas o fato é que parece que tem um jogador brasileiro que joga no time de Lyon e que é super querido, o Juninho Pernambucano).
.
No dia seguinte já estávamos refeitos
do cansaço e prontos para conhecer a cidade!
.
Paulinho, na Ponte do Rio Saône, para começarmos a explorar a parte mais interessante da cidade!
Eliane, na Praça Bellecour
..
Dali, fomos à famosa Colina de Fourvière
.
Colina de Fourvière
.
Pegamos um funicular que vai até o alto da Colina, mas saltamos na primeira parada, para que pudéssemos conhecer Croix Rousse onde se pode admirar a beleza da antiguidade arquitetônica do L’anfithéâtre des Trois Gaules, uma obra datada de 19 a.C e que relembra concretamente nos dias de hoje aspectos do passado histórico de capital do antigo Império Galo-Romano.
.
Paulo ficou encantado. Poderíamos seguir ao alto da colina através de um transporte próprio, mas Paulinho preferiu subir as escadarias das ruínas, para melhor apreciá-las. Eu, confesso que preferia ter economizado alguns passos!
.
Fomos visitar a Famosa Basílica de Fourvière.
Imperdível!!!
.
Do alto da colina, temos uma vista maravilhosas da cidade!
.
A vista que se tem dali é belíssima!
.
Fomos à Basílica de Fourvière, que é bem diferente e lindíssima.
.
Para o Paulo, uma das mais bonitas,
com uma imagem de ouro do lado de fora,
que impressiona a todos que lá chegam.
.
O interior da Basílica é surpreendente, pelo recobrimento
quase total de suas paredes internas por enormes e lindos
murais em mosaico. As imagens falam por si!
..
Mosaico lindíssimo!
.
Eliane, em frente à Cathédrale Saint Jean, um ícone cidade,
no Quarteirão do Renascimento, simbolizado pela
arquitetura em estilo gótico da Vieux Lyon.
.
Paulo na Ponte sobre o Rio Saône
.
A cidade de Lyon está dividida em Três Partes:
.
VELHA LYON
.
À margem esquerda do rio Saône
.
.
PRESQU'ÎLE
.
Parte mais interessante de Lyon;
é uma faixa que fica entre os rios Rhône e Saône.
.
.
PART-DIEU - à esquerda do Rhône
.
É a parte mais moderna, com área residencial,
uma área comercial destacada e a estação ferroviária.
.
Centro de Dança de Lyon – bem pertinho de nosso hotel
e do restaurante Rouge La Dance
.
Outro aspecto que envaidece o lionês é sua gstronomia, considerada a principal da França. A reputação gastronômica de Lyon já não se baseia apenas num cliché. A ordem é destruir os seus emblemas para construi-los de forma diferente. Afinal, metrópole não pode deixar-se dormir sobre louros conquistados… Não surpreendente portanto que Lyon queira fazer dos seus chefes e restaurantes os motores desta indústria criativa que é a gastronomia. Com estrelas ou sem elas, a cidade espera que eles inovem alimentando-se da tradição e da enorme riqueza dos produtos da região.
.
Talvez seja por isso, que o restaurante mais comentado do momento é o Rouge La Dance, mas que não é muito conhecido pelos turistas, exatamente por ficar em Part Dieu, onde estávamos. Foi exatamente o restaurante que jantamos em nossa primeira noite na cidade. É muito interessante porque tem especialidades de todo mundo. O lugar é mesmo bem bacana, pela decoração, com vários cantinhos, cada um com ambientação de acordo com o tipo de comida que seria escolhida.
.
Mas o fato é que acabamos retornando lá na noite da despedida.
.
Foi lá que conhecemos a simpática família de Marlène YAPAUDJIAN, quando comemoravam o aniversário de um de seus filhos.
Aliás, que garotos bonitos!!!! Se os outros meninos de Lyon forem tão bonitos como aqueles, essa cidade tem um futuro muito promissor!!!
.

Acabamos, de certa forma, participando daquela comemoração em família, pois estávamos na mesa ao lado, e no restaurante tem um mágico que fica circulando, enfim, ficamos observando as mágicas que fez na mesa deles e vice-versa.
.
Talvez essa família não saiba como foi bom para nós aquele breve convívio, pois como em toda cidade grande, as pessoas acabam sendo apenas cordiais, quando muito, mas tudo extremamente impessoal. Enfim, totalmente diferente da sensação que tínhamos sentido nas pequeninas cidades do Vale do Loire, onde todos se cumprimentam e procuram fazer com que você se sinta integrado, apesar de todo intenso turismo ao qual estão acostumados. Então, poder participar um pouco da alegria daquela família tão simpática, nos fez sentir uma sensação mais acolhedora.
.
Parabéns Marlene, você, seu marido e seus filhos
foram os verdadeiros e grandes embaixadores de Lyon.
.
Se quiser seguir a nossa viagem, é só clicar em:
.
.Para ver qualquer outra matéria, clique em uma das opções no menu
que se encontra quase no topo do blog, na coluna do lado direito.

Um comentário:

  1. Adorei a matéria!!! Estarei em Lyon em julho e espero aproveitá-la como vcs!!!

    ResponderExcluir

Quer comentar? Escreva aqui!