sábado, 30 de abril de 2016

Ushuaia - A Cidade do Fim do Mundo

Cinco dias em Ushuaia! Ai que saudade!!!


Eu tenho utilizado muitos ótimos blogs para programar a minha próxima viagem, então achei justo que eu também contribuísse com outros viajantes e, de quebra, relembrasse bons momentos. Resolvi então atender aos pedidos do maridão (minha última publicação foi em 2012) e vou tentar me programar para publicar algumas viagens passadas que não foram incluídas aqui.
Com esse calor que está fazendo no Rio, nem precisei pensar muito por qual começar... eu tenho sonhado com Ushuaia... Ai que saudade!!!
Eu e meu marido fizemos essa viagem em outubro de 2013 e nós amamos! 

Nossa viagem foi de cinco dias, tempo perfeito pra curtir tudo, sem correrias!
Nessa época, final de outubro, já não dá mais para esquiar, mas por outro lado, os pinguins já começam a retornar das suas jornadas, pois no inverno, até eles migram! Mas ainda pegamos um pouco de frio (pouco, para os locais, e em comparação com o inverno, pois pra nós, é um frio intenso!!!!). 

Primeiro dia em Ushuaia! Entramos numa fria... E adoramos!!!


Chegamos em Ushuaia. O fim do mundo é aqui! 
Estamos na cidade mais austral do mundo!! Há outros lugares mais ao sul, Porto Williams e a Antártida, mas não têm o status de cidade. Aliás, é daqui que se parte para Antártida!! 
Então, se você não gosta de frio, não venha!! 
Quando chegamos estava nevando e, considerando que somos cariocas, achamos muito boa essa recepção!!!
No primeiro dia, nada melhor pra fazer do que um leve reconhecimento da área e como nosso hotel ficava super bem localizado, deu pra ver, logo de cara, o calçadão ao longo do porto, as ruas que sobem para o centrinho, os quiosques onde se compra os passeios de catamarã pelo Canal de Beagle, o quiosque especial que vende exclusivamente o passeio à Ilha dos Pinguins e logo mais adiante, o Presídio do Fim do Mundo - onde fugir era impossível pelas condições climáticas e geográficas - Hoje um museu, onde há esculturas idênticas aos seus mais famosos presos.


Normalmente não gostamos de visitar presídios, pois sempre tem um clima pesado, e não é legal se divertir onde tanta gente já sofreu. Mas no caso de Ushuaia, onde esse presídio foi a origem da própria cidade, vale a pena conhecer. Como o local era super inóspito, resolveram construir aqui o presídio, e com o tempo, as famílias dos presos, para poderem visitar seus entes queridos, foram se mudando para a localidade, bem como as famílias dos carcereiros e demais trabalhadores envolvidos com o presídio, e assim foram formando o povoado, que com o passar dos tempos se transformou na cidade que conhecemos hoje.
No museu que hoje ocupa o presídio nós podemos conhecer um pouco sobre alguns dos mais importantes presos, ver como eram suas vidas, suas rotinas e suas celas.  

O preso desta cela era de altíssima periculosidade, como podemos ler no seu retrato. Observem, comparando com a foto, que a escultura é super bem feita, e como ele estava incrivelmente envelhecido. Aqui ele estava com apenas 35 anos de idade.
Depois de conhecer o museu do presídio e suas histórias, regressamos ao nosso hotel para um breve descanso antes de sairmos para o jantar.
Bem, aqui estou eu a falar pela segunda vez do nosso hotel, e ainda não o mostrei. Vale a como dica!! O nome é Hotel Canal Beagle, é um 4 estrelas, com um ótimo preço de diária! Se você olhar pra fachada, não vai dar nada! Mas é muito bom!! Fica super bem localizado, em frente ao Canal de Beagle!! Dá pra fazer quase tudo a pé. E é muito confortável, com sua cama extra grande, além de ter wifi gratuito e um ótimo buffet de café da manhã, com geleias regionais e pãezinhos feitos na hora. Tem ainda um barzinho, de onde se pode saborear um chocolate quente ou degustar um vinho, apreciando a vista para o canal, entre um passeio e outro. 

De noite fomos jantar um uma das várias churrascarias da cidade, só pro Paulo matar o desejo de saborear um autêntico cordeiro patagônico. Fomos no La Estancia, que não chega perto dos demais restaurantes que conhecemos por lá, mas pro primeiro dia, cansados que estávamos, era o que queríamos. Uma churrascaria ótima, espaçosa, confortável e com a sempre deliciosa carne argentina!

Segundo dia em Ushuaia!


Foi assim que amanheceu - com carros e ruas cobertos de neve.
 Essa era a v
ista a partir do nosso quarto - Em frente ao Canal de Beagle.
Nosso primeiro passeio fora da cidade começava pela manhã. Reservamos na véspera, no próprio hotel.
Após o café da manhã, um confortável ônibus de turismo veio nos apanhar.
Parque Nacional da Terra do Fogo
 
 Lago Roca, no Parque

Também conhecido como Parque do Fim do Mundo, é um passeio imperdível, possui 63 mil hectares e foi criado em 1960. Um dos destaques é o Trem do Fim do Mundo, réplica do histórico trem dos presidiários que era utilizado para abastecer de lenha o povoado. A composição sai da Estação do Fim do Mundo, a 8 km de Ushuaia, e segue em direção ao interior do parque, num trajeto que percorre paisagens deslumbrantes, montanhas nevadas, rios, lagos e bosques virgens, numa viagem única que dura cerca de uma hora. 

Cabana para tomar um chocolate quente, após passear pelas trilhas e lago do parque,
e antes de seguir para a estação do trem do fim do mundo.
 

Trem do Fim do Mundo

Na volta, compramos os tickets para um passeio de catamarã pelo Canal de Beagle. Mas antes do passeio, fomos almoçar num local incrível!


Almoço nos Armazéns Ramos Generales



Antes do passeio ainda havia tempo para almoçar, e estávamos muito perto de um local super recomendado!! O Ramos Generales - um dos locais mais interessantes pra conhecer em Ushuaia, cheio de história, e que ocupa os antigos armazéns. Mistura um pouco de padaria, restaurante, doceria, vinoteca e museu . O ambiente é todo rústico, lotado de objetos antigos nas paredes e nas mesas onde os clientes comem. Ao longo do balcão de madeira do salão principal estão expostos alguns produtos vendidos por lá, entre eles merengues de pinguins e tortas com frutas patagônicas.  É tão legal que almoçamos com um pessoal que conhecemos no passeio do parque e logo resolvemos que deveríamos voltar após o passeio de catamarã, para poder curtir com mais tempo aquele ambiente, e vê-lo durante a noite, quando fica o maior agito!


Passeio pelo Canal de Beagle
Conforme explicado acima, antes de irmos almoçar, fomos comprar os tickets para o passeio de catamarã pelo Canal de Beagle, e ainda no começo, dissemos que os quiosques de vendas ficavam no porto, bem próximo ao hotel onde estávamos, o que portanto, possibilitou que fizéssemos tudo apenas caminhando.
Na hora de comprar o passeio, você terá que escolher, porque existem vários tipos. Nós escolhemos o passeio curto, porque iríamos fazer, em outro dia, o passeio até a Pinguinera - ilha dos pinguins e, sinceramente, eu dou essa dica para que todos façam isso, pois a ida à Pinguinera é algo inesquecível e totalmente diferente de tudo. Mas cuidado!! No mesmo local onde vendem os passeios de catamarã também é vendido um programa onde dizem que está incluída a ida à ilha dos pinguins. Entretanto, verifique se você poderá caminhar entre os pinguins, porque é este o passeio que eu recomendo e ele começa em um ônibus, como mostrarei mais adiante. O passeio vendido no local que vendem os passeios de catamarã, que inclui a ilha dos pinguins, faz apenas uma aproximação para fotografar esses bichos encantadores, a partir do barco. Mas nem por isso eu estou aqui deixando de recomendar o passeio de catamarã, pois temos que ter em mente que estamos numa cidade que depende desse canal e seria uma lástima não conhecê-lo. Portanto, a dica é fazer o passeio curto.
Canal de Beagle é o estreito que separa a Terra do Fogo de outras ilhas e que liga os oceanos Atlântico e Pacífico. 

Em 1833, Charles Darwin atravessou o Canal de Beagle. Nesse passeio de catamarã nós seguimos seu trajeto, em um cruzeiro confortável de 2h30min, onde podemos apreciar, do ponto de vista a partir do canal, alguns pontos turísticos da cidade, como a antiga prisão de Ushuaia, bem como, admirar a vista das montanhas Cinco Irmãos e Olivia, dentre outras lindas paisagens. Depois de chegar ao farol Les Eclaireurs e ver as ruínas de um naufrágio, observamos uma multidão de pássaros e leões marinhos na Ilha dos Leões Marinhos e na Ilha Bird. O catamarã possui dois andares, e tem uma cafeteria disputadíssima, pois todos querem aplacar o frio e nada melhor do que um café ou um chocolate quente! Durante todo o cruzeiro nós somos informados, através dos telões, a respeito de cada paisagem avistada. Há ainda um fotógrafo a bordo à disposição dos viajantes.


Terceiro dia em Ushuaia!

Aventura 4x4 na trilha dos Lagos Fagano e Escondido

Este é um passeio imperdível!!! Não é dos mais divulgados, e não pode ser adquirido no hotel ou no porto, portanto, recomendo que vocês perguntem, na recepção do hotel, como chegar à loja que vende. A lojinha fica no alto de uma ladeira, mas dá pra ir caminhando, aliás, como quase tudo. Nós soubemos a respeito desse passeio e fomos à procura da lojinha, logo no primeiro dia de nossa estada. Faça isso também assim que chegar, pois não existe muita disponibilidade. Não são tantos jipes assim e só podem ir 4 pessoas além do motorista. No nosso caso, tivemos a companhia de um casal de argentinos muito simpáticos.


A primeira parada do nosso jipe é obrigatória, pois ali será o nosso último local equipado por banheiros e bar. Depois dali, só aventura, pois entraremos em uma área onde não são permitidas construções. Esse estabelecimento serve exatamente como apoio para o centro de treinamento dos cães Siberian Huskies -  Portanto, se a sua estada em Ushuaia for durante o inverno, você não poderá ver os pinguins, mas por outro lado, poderá fazer passeios de trenós puxados por cães que são treinados nesse centro de treinamento, e além disso, poderá também fazer caminhadas com raquetes de neve e passeios noturnos em motos de neve. Nessa aventura 4 x 4 está incluída a possibilidade de andar de trenó ou caminhar de raquetes, mas obviamente só durante o inverno. Como este não era o nosso caso, apenas utilizamos a parada de apoio e visitamos  centro de treinamento. Entretanto, como ganhamos tempo, em função da impossibilidade dessas atividades de neve, somos compensados com outra atividade em um lindo lago - canoagem - mas somente depois do almoço. 



Depois dali passamos no Cerro Castor - onde funciona o Centro de Esqui de Ushuaia. Olhando a foto abaixo, todos irão pensar porque estou falando o tempo todo que não é possível realizar as atividades de neve, mas é que as condições não são ideais. Essa neve que se vê no centro de esqui também não é suficiente para que o mesmo esteja em funcionamento nessa época do ano.

Logo depois começamos a travessia da Cordiheira ds Andes, e o jipe faz uma parada em Paso Garibaldi para que possamos ter, do alto da cordilheira, uma vista deslumbrante dos Lagos Fagano e Escondido.

Depois dessa parada começa a aventura propriamente dita, e percorremos caminhos que somente são possíveis devido às condições especiais dos tais jipes e à perícia de seus motoristas. Normalmente andam juntos dois jipes, para que um dê suporte ao outro. São caminhos de tirar o fôlego, ora íngremes, ora dentro d´água, e aí entendemos porque não seria possível ver tanta beleza em uma região selvagem e de preservação, se estivéssemos em um ônibus de turismo ou em um carro alugado.

E como ninguém é de ferro, fazemos uma parada para almoço. Quem quiser utilizar um banheiro natural, o local é aqui perto, mas as mulheres não costumam querer.
Nossos companheiros de trilha! Ao lado deles, um dos motoristas. Aqui a entrada de frios.

O outro motorista, nosso  churrasqueiro, iniciando os trabalhos, com linguiça no pão.



O almoço está incluído nesse pacote e vale cada peso!!! É um churrasco argentino feito no meio da natureza quase virgem, servido em um refúgio - local improvisado que pode ser removido rapidamente, pois construções ali não são permitidas - É uma oportunidade rara de saborear um autêntico churrasco argentino feito pelos locais e nessas condições. Todo o equipamento é trazido no porta-malas do jipe, incluindo um garrafão de água e as bebidas que serão servidas, incluindo o vinho regional (nós sabemos como são bons os vinhos da região das cordilheiras). São várias as equipes que acampam por aqui, então, ao sair, o motorista de cada jipe se encarrega de guardar tudo que trouxe e deixar o local livre para o próximo grupo. Parece incrível, mas tudo funciona!! Como normalmente são dois jipes fazendo a aventura, esses motoristas são também os nossos churrasqueiros!!! E pasmem!!! Toda a bebida que eles carregam em coolers no porta-malas já chega no refúgio bem gelada! 

Depois dessa parada deliciosa para almoço, voltamos à trilha e a nossa próxima parada é no lindo Lago Escondido.
E como eu disse antes, o fato de não termos feito as atividades de neve permitiu que nos sobrasse tempo para canoagem! Na foto abaixo, Paulo e nosso companheiro de trilha argentino, numa parceria pré-olímpica!

Depois de toda essa aventura, voltamos extasiados com as novas paisagens que iam se descortinando até chegarmos à cidade! Fim desse passeio que eu super recomendo!!!
Jantar no restaurante Tante Nina

O Tante Nina é um dos melhores restaurantes de Ushuaia e que se destaca pela vista maravilhosa. É um elegante restaurante, mas seus preços são justos. As especialidades da casa são a Centolla (King Crab) e a merluza negra (peixe de águas profundas da região) - Recomendo! 


Também recomendo que experimente, para sobremesa, o crepe de doce de leite com sorvete de creme! Divino!


Quarto dia em Ushuaia!

A Pinguinera


Como já disse antes, esse é um passeio imperdível, e deve ser feito pela Piratour, única empresa que faz o tour onde você pode realmente caminhar entre os pinguins, e sentir o clima da ilha desses habitantes super fofos!!! 
Por questões ambientais, só é permitida a permanência de 20 turistas na ilha, então, cada excursão está limitada a esse número de pessoas. Assim, sugerimos que você compre esse passeio também no seu primeiro dia em Ushuaia, de forma a não correr o risco de não ter vaga durante a sua estada. Há outras agências que divulgam passeios com a Pinguinera incluída, mas nesses, você apenas vê a ilha à distância. O tour da pinguinera dura apenas metade do dia. O passeio começa em um micro-ônibus tipo jipão 4 x 4 que nos leva à Estância Harberton, de onde um pequeno barco sairá para a Pinguinera.

A caminho da Estância Harberton


A Estância Harberton está localizada a 85 quilômetros de Ushuaia. Este lugar possui um importantíssimo valor histórico, já que seus donos são os descendentes de Thomas Bridges, o homem que soube conviver com os aborígenes da zona e que deu o nome às famosas ilhas do Canal de Beagle. Bridges fundou a estância no século XIX. Foi a primeira estância que conseguiu se estabelecer na província de Tierra del Fuego. Atualmente continua sendo propriedade privada, mas é a partir daqui que parte o barco que leva os turistas à Pinguinera.
Esse é o pequeno barco que leva os visitantes à Ilha do Martelo. É a única ilha no Canal de Beagle onde encontramos colônias de várias espécies de pinguins, por isso é chamada de Pinguinera. Somente 20 pessoas podem estar na ilha por vez e o acesso é muito controlado.
A caminho da Pinguinera! O passeio mais frio das nossas vidas, mas valeu cada tremida!!





Os ninhos dos pinguins já começam a ser feitos pelos machos desta espécie menor, nesta fase do ano, quando o clima já está mais ameno. Eles migram para águas menos geladas durante o inverno. Os machos chegam uma ou duas semanas antes das fêmeas par preparar os ninhos. Uma outra espécie maior fica sempre na ilha, pois são pinguins mais afeitos ao inverno rigoroso.

Meu pinguinzão! 

Jantar no restaurante Tia Elvira

O Tia Elvira é um dos melhores restaurantes da cidade e foi o restaurante que mais gostei!! Também é especializado em comidas da região e assim como o que havíamos ido na noite anterior, suas especialidades são a Centolla (King Crab) e a merluza negra (peixe de águas profundas da região) - Os preços aí também são bastante honestos! Recomendo!


Quinto dia em Ushuaia!


Esse foi o nosso último dia na cidade, pois nosso vôo para Buenos Aires sairia no final da tarde. Então não deixamos nenhum dos passeios para esse dia. Aproveitamos para caminhar pela cidade, ver as lojinhas, fazer algumas compras, conhecer o cassino (Há mais de um e o melhor deles fica mais distante. Pra quem gosta, a ideia melhor seria ir de noite, após o jantar), enfim, badalar por ali. Fizemos tudo a pé, saindo do nosso hotel. E depois, já que estávamos por ali, resolvemos almoçar num restaurante-café também muito bem recomendado. 




O Tante Sara. Bem na rua principal do centro. Muito bom!! Ótima dica para almoço ou lanche! O forte são as tortas!!


Compras em Ushuaia

Depois do almoço, voltamos em algumas lojas para finalizar as compras, já que Ushuaia está isento de impostos. Isso deixa os brasileiros animados, mas temos que ter cuidado, pois como a cidade é muito isolada, o custo do transporte incluído no preço pode fazer a isenção de impostos não compensar. Pense e calcule. 
O principal local para compras é a Av. San Martín, no centrinho, que além de vários restaurantes, reúne também muitas lojinhas 
de presentes, entre elas a Monte Olivia e La Ultima BitaNessa via, que é a principal de Ushuaia, há lojas de sapatos, material esportivo, roupas e um Duty Free Shop, o Atlantico Sur, com grande variedade de produtos, entre eletrônicos, bebidas alcoólicas, chocolates, malas, roupas, brinquedos infantis, móveis para casa, artigos de decoração e cozinha, perfumes e cosméticos.


Há também um shopping, o Paseo del Fuego, mas muito menor que os nossos e menos interessante do que descobrir os cantinhos do centrinho da cidade. 

Depois das compras voltamos ao hotel, já nos preparando para nos despedir da cidade. Ushuaia deixou saudades!!!


Obrigado pela visita! 



Para ver qualquer outra matéria, clique em uma das opções de índice no menu
que se encontra na coluna do lado direito.
Se estiver visualizando de um celular, clique na visualização para a versão web.